Termos e Condições

Cada "Kit Se Cuida" contém 01 (um) canudo de metal e 01 (um) snack, que será distribuído gratuitamente aos usuários cadastrados.

O Kit estará disponível para retirada até o dia 31 de maio de 2019, no horário das 9h às 17h, na sede administrativa da Unimed Blumenau, localizada na rua das Missões, nº 455, bairro Ponta Aguda, Blumenau (SC).

Válido apenas 01 (um) Kit por CPF cadastrado.
Somente o portador do CPF cadastrado poderá retirar o Kit.
É proibida a comercialização e/ou venda do Kit.
fechar
menu mobile
Maio

Hipertensão

#secuidahein

Confira o vídeo:

com Dr. Alexandre José Ferreira

Como se prevenir da Hipertensão

Hipertensão tem carga genética, mas hábitos saudáveis ajudam a evitar a doença

Pais hipertensos devem ficar atentos! A hereditariedade e a pressão alta são visceralmente ligadas e poucas pessoas se atentam a esse fator. A presença de pais hipertensos e a idade na qual foi desenvolvida a pressão alta aumentam significativamente os riscos dos filhos em adquirir a doença.

A hipertensão arterial é uma doença crônica caracterizada por um aumento expressivo e acima dos limites da pressão sanguínea. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de um terço da população adulta sofre de hipertensão arterial. Um número alarmante que pode diminuir com mudanças de hábitos.

O infarto, a pressão alta e o colesterol elevado são doenças que afetam a condição cardíaca e a hereditariedade, além de serem considerados fatores de risco, eles merecem atenção e cuidados diário. Como a hipertensão é uma doença silenciosa, é fundamental ficar atento se algum familiar próximo desenvolve a doença antes dos 50 anos de idade.

Apesar de não ser possível alterar a genética, é importante se prevenir. A alimentação é essencial. Uma alimentação rica em vitaminas B6, B12 e ácido fólico, como fígado, banana e feijão, pode reduzir, por exemplo, os níveis de homocisteína no organismo (aminoácidos presentes no sangue que estão relacionados com o surgimento de doenças cardiovasculares; seus níveis elevados podem causar alterações nos vasos sanguíneos)

 

Evite também o estresse

Além dos efeitos imediatos, o estresse causa uma série de efeitos indiretos. O excesso de compromissos do dia a dia, o cansaço e a irritabilidade geram desgaste emocional, reforçando, assim, a hipótese para o aumento de doenças do coração. Com o estresse diário, o organismo fica mais sensível e, consequentemente, fica propício para o aparecimento de várias doenças, entre elas a hipertensão.

 

Previna-se

Importante ressaltar que a maior parte dos fatores de risco relacionados à hipertensão são modificáveis e bastam pequenas atitudes para prevenir-se como: deixar de fumar, diminuir o percentual de gordura corporal, fazer atividade física com regularidade, estressar-se menos, dormir bem e ingerir líquidos. Pense na sua qualidade de vida e planeje um estilo de vida saudável para seus filhos. Se cuida, hein!

Compartilhe:

ler mais
Crianças e adolescentes também podem apresentar hipertensão

A hipertensão, além de ser uma doença silenciosa, não escolhe idade. Ela pode atingir também crianças e adolescentes, por isso, é importante ficar atento e prevenir o mal desde cedo. No Brasil, a doença atinge 17,3% destas faixas etárias, segundo um inquérito populacional publicado em 2013, na revista “Pediatrics”. Filhos de pais hipertensos merecem ainda mais atenção, pois a doença é passada de forma hereditária.

As causas nem sempre são claras, no entanto, geralmente, estão relacionadas a questões como histórico familiar, obesidade, sedentarismo e ingestão elevada de sal. Na adolescência, outros fatores de risco são o consumo de cigarro, bebidas alcóolicas, drogas, uso de anabolizantes e pílulas anticoncepcionais.

Como raramente apresenta sintomas, é importante que a partir dos 3 anos de idade, seja aferida a pressão arterial nas consultas de rotina das crianças e adolescentes. Mas, atenção, uma única medição isolada não é motivo para se preocupar. A “síndrome do avental branco”, ou seja, o medo da consulta médica pode provocar um aumento transitório da pressão arterial em 30 a 40% das crianças, conforme um estudo publicado pelo “Journal of Clinical Hipertension”, em 2012. Crianças e adolescentes só são considerados hipertensos depois de três medições seguidas, que comprovem a hipertensão, em ambientes e situações diferentes.

Sintomas

Quando ocorrem sintomas, a hipertensão já está instalada e com complicações. Os mais comuns são tontura, falta de ar, dor de cabeça, zumbido, visão embaçada, sangramento no nariz e cansaço.

Tratamento

O tratamento da hipertensão em crianças e adolescentes depende das causas do problema. Caso não sejam identificados motivos específicos que levaram ao quadro de pressão alta, indicam-se programas de exercícios, uma dieta com maior ingestão de frutas e verduras, menos gorduras e carboidratos e a redução de sal.

Se as medidas iniciais de mudanças de hábitos não forem efetivas, indica-se o tratamento com medicamentos.

Para prevenir esta e tantas outras doenças em sua família, que tal começar hoje mesmo a mudar os hábitos em casa? Você pode começar trocando o elevador pela escada, a bolachinha da lancheira por uma fruta, o cinema no domingo por uma caminhada no parque, uma partida de videogame por um passeio de bicicleta. Mostre para as crianças como pode ser divertido se movimentar e ter uma vida mais saudável.

Compartilhe:

ler mais
Caminhadas e musculação são atividades físicas que beneficiam o hipertenso

Modificar hábitos e vícios desenvolvidos ao longo da vida não é uma tarefa simples. Mas, no caso dos hipertensos, essa atitude pode significar mais qualidade de vida e menos riscos. A prevenção torna-se fundamental, tanto para evitar a pressão alta, bem como para mantê-la sob controle.

Para alertar a população sobre os perigos da doença, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu a hipertensão em lista com as dez grandes ameaças à saúde em 2019. A ideia é conscientizar a população para a importância dos hábitos saudáveis.

Entre as atividades físicas que beneficiam o hipertenso, os exercícios aeróbicos de baixa e moderada intensidade, realizados por um período de 20 a 60 minutos, de três a cinco vezes por semana, promovem os melhores resultados. Caminhar, correr, pedalar, nadar e dançar estão entre atividades aeróbicas e são excelentes opções.

O ideal é que a atividade aeróbica seja complementada com um exercício anaeróbio, com peso, de duas a três vezes por semana. A musculação é uma boa opção, que garante segurança cardiovascular aos hipertensos. É importante ressaltar que todas estas atividades podem ser desenvolvidas após liberação médica e, de preferência, com orientação de um educador físico.

Os exercícios melhoram a circulação de sangue nas artérias e vasos, contribuindo para o bom funcionamento do coração, além de ajudar a controlar os níveis de hormônios que aumentam a pressão, como adrenalina e cortisol. O stress é outro fator que pode estimular estes hormônios considerados maléficos para os hipertensos, mais um motivo para destacar a importância dos exercícios físicos.

Compartilhe:

ler mais
Alimentação saudável e exercícios físicos são essenciais para prevenir a hipertensão

O friozinho típico do outono é um convite para um estilo de vida mais sedentário. Ficar uns minutinhos a mais na cama de manhã, abrir mão da rotina de exercícios físicos ou até mesmo incluir no cardápio uma alimentação mais pesada são atitudes comuns durante as estações frias do ano.

O risco de desenvolver problemas cardiovasculares, portanto, aumenta neste período. O sangue circula menos, acontece a chamada vasoconstrição, quando as artérias se contraem para manter o corpo aquecido. Além disso, com a temperatura mais baixa o corpo transpira menos e retém mais líquido na circulação. Todos estes fatores contribuem para a pressão subir.

Neste cenário, os hipertensos e a população em geral precisam estar mais atentos, principalmente com a alimentação. Segundo o Ministério da Saúde, o brasileiro consome por dia 12 gramas de sódio em média, quase o dobro do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de menos de 5 gramas por dia.

A pressão alta afeta um em cada quatro brasileiros e, segundo a OMS, é responsável por 80% das mortes por problemas do coração, 51% dos acidentes vasculares cerebrais (AVCs) e 45% dos ataques cardíacos em países emergentes como o Brasil.

A prevenção envolve tanto a aferição regular da pressão arterial quanto a adoção de hábitos saudáveis. É considerado hipertenso quem tem a pressão arterial igual ou maior que 14 por 9, segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão. Neste caso, o primeiro passo é procurar um médico especialista na área e seguir o tratamento clínico indicado. Os profissionais geralmente indicam uma dieta pobre em sal e a ingestão de cerca de dois litros de água por dia, além da prática de exercícios físicos.

Quando não controlada, a pressão alta pode desencadear silenciosamente e em longo prazo diversos problemas em órgãos como coração, cérebro e rins. O tratamento da hipertensão abrange a prevenção das complicações, especialmente AVC, infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e insuficiência renal crônica.

Nas próximas semanas você vai conhecer mais sobre a hipertensão e ter acesso a dicas de prevenção. Fique ligado no blog!

Compartilhe:

ler mais