Termos e Condições

Cada "Kit Se Cuida" contém 01 (um) canudo de metal e 01 (um) snack, que será distribuído gratuitamente aos usuários cadastrados.

O Kit estará disponível para retirada até o dia 31 de maio de 2019, no horário das 9h às 17h, na sede administrativa da Unimed Blumenau, localizada na rua das Missões, nº 455, bairro Ponta Aguda, Blumenau (SC).

Válido apenas 01 (um) Kit por CPF cadastrado.
Somente o portador do CPF cadastrado poderá retirar o Kit.
É proibida a comercialização e/ou venda do Kit.
fechar
menu mobile
Junho

Queda de Idosos

#secuidahein

Confira o vídeo:

Embora pareça pouco preocupante, a queda de idosos é um assunto de saúde importantíssimo.

Como evitar quedas de idosos dentro de casa

Queda de idosos: condição pode indicar presença de doenças não diagnosticadas

As quedas podem ser acidentais ou, ainda, causadas por questões externas, como sapatos inadequados, objetos espalhados pelo caminho e calçadas irregulares. Porém, em alguns casos, a queda pode ser um indicador de que o idoso está com alguma outra doença ou condição mais grave e que deve ser investigada. É preciso estar atento aos sinais que podem surgir no dia a dia, para evitar que a situação se agrave e cause problemas mais sérios.

 

Doenças que podem causar quedas em idosos

Existem diversas condições que podem gerar as quedas. Algumas doenças comuns na terceira idade são o Alzheimer e o Parkinson, ambas associadas à demência. Estas podem comprometer o equilíbrio e a percepção dos movimentos, podendo, assim, ocasionar a queda. Nestas situações, também é comum que o idoso apresente quadros de agitação ou confusão mental, interferindo diretamente na capacidade de locomoção. 
Alguns tipos de doenças podem causar maior fragilidade e dependência da pessoa idosa. Neste caso, podemos citar como exemplo as doenças cardiovasculares e pulmonares. Também é preciso ficar de olho em doenças que afetam ossos, musculatura e articulações, como é o caso da osteoporose e das artrites, comuns de surgirem com o avançar da idade. 
O aumento da frequência das quedas pode estar associado a problemas na visão, como glaucoma e catarata. Outra condição comumente associada é a labirintite, que afeta o equilíbrio do indivíduo. Depressão, insônia e outras condições neurológicas também são fatores de risco.

 

Prevenção é o melhor remédio

A melhor forma de prevenir que a pessoa idosa sofra uma queda é tomar medidas para evitar o problema. Além de cuidar do ambiente em que o idoso vive - evitando tapetes soltos, móveis mal posicionados e objetos pelo caminho - é importante realizar visitas regulares ao médico, sempre prestando atenção aos sinais que possam indicar alguma doença mais grave.
Acima de tudo, o mais importante para melhorar a saúde e o bem-estar na terceira idade é o apoio e cuidado da família. Parentes e cuidadores devem oferecer amor, atenção e apoio psicológico ao idoso, além de garantir que ele siga uma alimentação balanceada e realize exercícios físicos. Desta forma, é possível evitar problemas graves de saúde, e assegurar uma maior qualidade de vida.

Compartilhe:

ler mais
Exercícios físicos para idosos: como eles contribuem para evitar as quedas e aumentar a qualidade de vida na terceira idade

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente o Brasil conta com uma população de 29,6 milhões de idosos e a perspectiva é que, em 2030, haja mais idosos do que crianças no país.

Quando falamos em atividades físicas, logo nos vem em mente bem estar e qualidade de vida, porém, quando chegamos na terceira idade, os exercícios precisam ser selecionados, acompanhados e autorizados pelo médico.

Hoje, recomenda-se exercícios planejados e estruturados com exclusividade aos idosos, devido aos benefícios que os mesmos exercem no corpo e mente do indivíduo. As quedas são problemas frequentes na terceira idade, mas que podem e devem ser evitadas.  É importante que os idosos estejam em movimento sempre e vale ressaltar que a prática de atividade física, ao menos 3 vezes na semana, pode diminuir e evitar as possíveis quedas.  

A prevenção é a única forma de evitar problemas futuros. Se exercitar regularmente fortalece os músculos, melhora o equilíbrio, aumenta a resistência e a imunidade dos idosos. A terceira idade não precisa ser sinônimo de doenças, problemas de saúde ou baixa qualidade de vida, basta sempre se prevenir e se cuidar para alcançar a qualidade de vida.

A prática de alguns exercícios podem ser inseridos no dia a dia dos idosos para contribuir para uma vida mais saudável e sem quedas. Abaixo listamos alguns benefícios que a atividade física traz aos idosos:

 

Melhora do equilíbrio: um grande problema na terceira idade é a falta de equilíbrio. Por possuírem ossos mais frágeis, os idosos têm maior riscos de fraturas e uma queda simples pode acarretar um grande dano à saúde. As atividades físicas auxiliam a manter o equilíbrio.


Aumento da massa e força muscular: exercícios físicos ajudam a tornar os músculos mais fortes, auxiliando, assim, na proteção dos ossos e na sustentação corporal do idoso. Assim como o equilíbrio, a força muscular é importante em caso de quedas pois evita maiores danos à saúde e aos ossos, que costumam ser mais frágeis nessa fase da vida. O aumento da massa e força muscular auxiliam também na execução de outras atividades diárias, permitindo, assim, maior independência ao idoso.

 

Diminui o risco de doenças: mesmo que a terceira idade não precise ser sinônimo de doenças, é normal surgirem algumas preocupações que exigem maior cuidado, como hipertensão, obesidade, diabetes, osteoporose, depressão, problemas cardíacos e pulmonares, etc. A prática regular de exercícios físicos ajuda a regular a pressão arterial, melhorar a circulação sanguínea e a oxigenação do organismo, além de auxiliar na liberação de serotonina e outras substâncias que ajudam a combater a depressão e outras doenças.

 

Opções de atividades físicas para os idosos

Vale lembrar que cada pessoa tem o seu próprio ritmo e isso conta principalmente para a terceira idade. Contudo, é importante buscar uma atividade que aumente a qualidade de vida e bem estar dos idosos. Práticas de pouco impacto são as mais indicadas para quem está acima dos 60 anos.

Caminhadas, passeios de bicicletas, yoga, pilates, alongamento, dança, musculação e natação são alguns dos exercícios que podem ser incluídos na rotina dos idosos e que são de fácil realização para não causar lesões. No entanto, cabe a cada idoso definir o que mais lhe agrada e realizar a atividade com total prazer. Os exercícios devem ser praticados 3 vezes por semana e sob orientação do médico.

 

Compartilhe:

ler mais
Cuidados com idosos: atente-se aos principais fatores de risco e como evitar quedas

A queda de uma pessoa idosa pode parecer não muito frequente, mas, acontece diariamente e é considerado o acidente doméstico mais assíduo e perigoso para pessoas nesta faixa etária. De acordo com o Ministério da Saúde, estima-se que há uma queda para um em cada três indivíduos com mais de 65 anos, destes, um a cada 20 sofrem uma fratura ou necessitam de internação e atendimento médico. Dentre os mais idosos, acima de 80 anos, 40% caem a cada ano.

Com o avançar da idade, as estruturas óssea, muscular e as articulações ficam debilitadas e levam muito mais tempo para se recuperarem. Por isso, é importante prevenir o problema. A principal forma de evitar as quedas na terceira idade é conhecer os principais fatores de risco e como evitá-los, para assim, preservar ao máximo a saúde dessas pessoas.

Atente-se aos fatores de risco

Existem algumas condições de risco para quedas em idosos, como, por exemplo, fatores internos, externos, de tempo, idade e de ambiente. Sobre os fatores externos, os principais facilitadores das quedas são o uso de medicamentos com frequência e o uso de sapatos inadequados. Alguns remédios podem alterar a consciência, gerar sonolência e prejudicar a visão dos idosos. Já os sapatos inadequados, como sandálias, chinelos e meias, também agravam os riscos e merecem atenção!

Existem os riscos relacionados à idade do idoso, gênero, histórico prévio de quedas, dificuldade em andar ou desequilíbrio constante, alterações ortopédicas e alterações na visão.

O ambiente onde o idoso mora ou frequenta também pode apresentar alguns riscos quando, por exemplo, a iluminação é fraca, o piso é escorregadio, há ausência de corrimão, adaptadores e excesso de tapetes soltos pela casa.

Cuidados para prevenir a queda em idosos

Evitar esse tipo de acidente é a única forma de ajudar os idosos. As quedas com frequência podem causar fraturas ósseas, dificultando, assim, a recuperação. Além disso, esses fatores podem acarretar em um efeito dominó, provocando outros problemas de saúde. Abaixo, listamos algumas medidas preventivas que podem ser adotadas aos idosos e que ajudam a protegê-lo, são elas:

-  Fazer exames oftalmológicos e físicos anualmente, em específico para detectar a existência de problemas cardíacos e de pressão arterial; 
-  Manter uma dieta rica em cálcio, vitamina D e tomar banho de sol diariamente;
-  Praticar atividades físicas que visem o desenvolvimento de agilidade, força, equilíbrio e coordenação;
-  Eliminar da casa do idoso tudo que possa provocar escorregões e instalar suportes como corrimão e acessórios de segurança; 
-  Utilizar sapatos com sola antiderrapante e amarrar o cadarço com firmeza;
-  Evitar sapatos altos, com sola lisa, chinelos e, se possível, não andar apenas com meias nos pés.

Cuidar adequadamente de um idoso, oferecendo-lhe segurança, acolhimento e atenção, pode parecer uma tarefa nada fácil, mas, é importante salientar que eles precisam do apoio, cuidados e amor de pessoas próximas diariamente. Lembre-se que essas cautelas são atitudes singelas mas que significam muito à saúde, bem estar e qualidade de vida do idoso. Prevenir é melhor que remediar, se cuida hein!

Compartilhe:

ler mais