Termos e Condições

Cada "Kit Se Cuida" contém 01 (um) canudo de metal e 01 (um) snack, que será distribuído gratuitamente aos usuários cadastrados.

O Kit estará disponível para retirada até o dia 31 de maio de 2019, no horário das 9h às 17h, na sede administrativa da Unimed Blumenau, localizada na rua das Missões, nº 455, bairro Ponta Aguda, Blumenau (SC).

Válido apenas 01 (um) Kit por CPF cadastrado.
Somente o portador do CPF cadastrado poderá retirar o Kit.
É proibida a comercialização e/ou venda do Kit.
fechar
menu mobile

Novembro/2019

Saúde do Homem

Saúde do Homem

Homem que se cuida não perde o melhor da vida: um alerta para o câncer de próstata

Homem que se cuida não perde o melhor da vida: um alerta para o câncer de próstata
Os principais motivos pelos quais os homens têm dificuldade em procurar um médico ainda são o medo e o preconceito. Cerca de 70% dos homens só procuram ajuda médica acompanhados ou incentivados por suas esposas, ou por mulheres da família, e mais de 50% quando os sintomas já estão avançados. Estes números devem ser vistos como um alerta para a conscientização e prevenção de doenças, principalmente se tratando do câncer de próstata, uma das doenças que mais atinge o público masculino após os 50 anos de idade.

Os principais motivos pelos quais os homens têm dificuldade em procurar um médico ainda são o medo e o preconceito. Cerca de 70% dos homens só procuram ajuda médica acompanhados ou incentivados por suas esposas, ou por mulheres da família, e mais de 50% quando os sintomas já estão avançados. Estes números devem ser vistos como um alerta para a conscientização e prevenção de doenças, principalmente se tratando do câncer de próstata, uma das doenças que mais atinge o público masculino após os 50 anos de idade.

O câncer de próstata é o mais comum entre os homens, depois do câncer de pele e, embora seja uma doença comum, por medo ou por desconhecimento, muitos homens acabam preferindo não conversar sobre o assunto.

Segundo dados do Ministério da Saúde, as estimativas apontam 68.220 novos casos de câncer de próstata em 2018. Esses valores correspondem a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens, além de ser a segunda causa de morte por câncer em homens no Brasil, com mais de 14 mil óbitos. A maioria dos cânceres de próstata cresce lentamente e não causa sintomas, mas alguns são mais comuns e podem ser identificados logo no início.

 

Sintomas

  • dificuldade para urinar;
  • demora em começar e terminar de urinar;
  • sangue na urina;
  • diminuição do jato de urina;
  • necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

 

Alguns fatores também podem aumentar as chances de desenvolver câncer de próstata, como a idade, histórico de câncer na família e obesidade. Além disso, estudos recentes apontam maior risco de câncer de próstata em homens com sobrepeso.

Para diminuir os riscos, a mudança no estilo de vida é crucial, assim como ter uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura. Além disso, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como:  fazer pelo menos 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado, diminuir o consumo de álcool e não fumar.

 

Dicas de prevenção

 

Para prevenir o câncer de próstata, a consulta médica e exames periódicos são fundamentais. Veja algumas dicas de como se preparar para conversar com o seu médico:

  • Anote todos os sintomas, mesmo que não pareçam estar associados à razão principal da consulta médica;
  • Faça uma lista das medicações que você usa, incluindo vitaminas ou suplementos alimentares;
  • Se tiver resultados de exames feitos recentemente, leve-os. Podem ser uma referência importante para o médico avaliar seu caso;
  • Avise o médico se houver histórico de câncer na sua família, principalmente o de próstata.

O câncer de próstata tem 90% de chances de cura quando diagnosticado precocemente. Por isso, realizar exames periódicos é a melhor maneira de se prevenir contra a doença, principalmente a partir dos 50 anos de idade, e acima dos 45, caso esteja inserido nos fatores de risco.

Compartilhe: